Depois destas eleições autárquicas, o PS conquistou a câmara da Moita à CDU, o que, segundo o Público, poderá deixar o Seixal como o único município da Margem Sul a manter o veto à localização do futuro aeroporto no Montijo – anteriormente, o projeto de construção da nova infraestrutura aeroportuária na Base Aérea n.º6 (BA6) tinha recebido o parecer negativo dos municípios da Moita e do Seixal.

A posição pode agora alterar-se com o novo presidente eleito na Moita, Carlos Albino (PS), que admitiu, em declarações ao jornal, que irá dar parecer positivo se a localização obtiver Declaração de Impacte Ambiental favorável.

“O aeroporto já se arrasta há tempo demais. Não podemos continuar à espera indefinidamente. Agora é o tempo de os técnicos desenvolverem o seu trabalho, na Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) que está a decorrer”, afirma, acrescentando que  “qualquer solução aeroportuária terá sempre impacto, mas também haverá sempre medidas para minimizar esse impacto” e que a decisão da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) deve ser respeitada.

“A CDU defendia uma Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) e é o que está a ser feito. A APA tem técnicos competentes e é idónea”, conclui o autarca. O presidente reeleito da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, manteve silêncio sobre o tema.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.