Segundo as autoridades alemãs, as celebrações da passagem de ano provocam uma situação e poluição extrema, conta o Washington Post.

Em apenas algumas horas, os fogos de artifício espalham cerca de 5 mil toneladas de partículas finas, perigosas, responsáveis por aproximadamente 400 mil mortes por ano na Europa, de acordo com estimativas atuais. Apenas na Alemanha, a poluição proveniente do fogo de artifício equivale a cerca de um quinto das partículas finas emitidas nas ruas, principalmente pelos carros.

Esta situação pode ser tão perigosa que os médicos recomendam o uso de máscaras, para proteger da poluição. “Respirar partículas finas põe em perigo a saúde das pessoas, com repercussões que vão desde deficiências temporárias do sistema respiratório a uma maior necessidade de medicamentos para asmáticos com doenças respiratórias ou cardiovasculares graves”, lê-se num comunicado da agência ambiental alemã.

Apesar disso, a possibilidade de implicações a longo prazo para a saúde é difícil de prever. “Os ventos fortes ajudam a dispersar rapidamente a poluição. Se houver falta de vento, com uma circulação horizontal limitada do ar, as partículas permanecem no ar durante muitas horas”.

Contudo, não é apenas a Alemanha que sofre deste problema. Segundo um relatório elaborado recentemente, outras cidades europeias e americanas vão enfrentar o mesmo desafio. Nova Iorque já proibiu o fogo de artifício nos últimos anos, pela Passagem de Ano, devido a problemas de poluição e segurança pública. O mesmo se verifica em Pequim, na China, e em Nova Deli, na Índia, devido aos elevados níveis de poluição do ar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.