• A muito alta tensão em Espanha
    A convivência política em Espanha está de tal modo envenenada que fica difícil imaginar quanto tempo vai ser necessário para recompor as coisas e para que as pessoas em campos opostos recuperem a estima perdida. Muito. Não será com a ida às urnas, ai
  • Asia livre
    Este Asia escreve-se sem o acento agudo no primeiro A por ser assim mesmo o nome próprio de uma paquistanesa que se tornou uma história de esperança no muito sofrido território dos Direitos Humanos. Também é uma história que revela como como leis ana
  • Há um presidente a mais
    A crise venezuelana esboça uma espécie de regresso ao cenário da Guerra Fria. Desta vez, não se trata de democracias ocidentais frente aos regimes comunistas, mas de uma outra clivagem: democracias liberais de um lado, regimes autoritários do outro.
  • Gdansk despede-se do herói assassinado
    As dezenas de milhar de pessoas que no sábado se juntaram em volta da vasta basílica gótica de Santa Maria, em Gdansk, fizeram do funeral de Pawel Adamowicz, o fecho de toda uma semana de luto com grande consternação pela brutal súbita perda de um po
  • Noite de pesadelo britânico
    Muitos britânicos vivem sucessivos dias de incerteza e ansiedade, e não admira se logo à noite passarem por pesadelos. É a véspera da votação sobre o Brexit no parlamento de Londres, e a probabilidade de os cidadãos britânicos e o país entrarem em te
  • O problema da Roménia na Europa
    A União Europeia está a entrar num semestre crucial, com a incerteza sobre a evolução do Brexit, as tensões em volta da imigração e a realização, no final de maio, de eleições europeias num contexto nunca antes visto de avanço de forças contra o sist
  • Contra a intolerância
    Amos Oz tinha a noção de que os tempos atuais, em especial nestes últimos dois anos, estão nefastos para a tolerância e para o triplo ideal de fraternidade, igualdade e liberdade.
  • Quando estamos entre Trump e o papa
    Nestes dias do Natal há sempre notícia do que o papa diz aos seus fiéis. O atual pontífice, mestre no pragmatismo, tem puxado a igreja do lado dos ideólogos doutrinais para o dos pastores moderados que se colocam ao serviço das pessoas, sobretudo as
  • Barcelona, 21 de dezembro
    Esta sexta-feira que aí vem é um dia crucial para Espanha e para a Catalunha. Quem se lembra da alta tensão há um ano em Barcelona com as manifestações e consultas independentistas? A crise está por resolver, segue num banho-maria que às vezes se põe
  • Os avisos do radar da Andaluzia
    Está visto que as eleições europeias de maio próximo vão ser dominadas pela discussão sobre a hostilidade de muito eleitorado ao sistema político dominante. Muito vai girar em volta do avanço do populismo radical e da ameaça de valores que levantaram
  • Um século de grande cinema italiano
    Bernardo Bertolucci é um dos últimos de uma sequência de gerações de cineastas italianos que, com inteligência, sensibilidade, poesia, requinte e técnica apurada, mudaram o cinema oferecendo-nos filmes muitas vezes transgressores, sempre preciosos, m
  • A matança interminável
    Telemachus nasceu há 27 anos, na Califórnia, de uma família de emigrantes gregos. Os pais quiseram seguir a mitologia grega e deram-lhe, por isso, o nome do filho de Penélope e do herói Odisseu. Mas os amigos sempre o trataram por Tel. Alistou-se na
  • Um retrato dos Estados (Des)unidos
    As eleições de meio de mandato nos Estados Unidos, já passaram, estão resolvidas. As sondagens estão confirmadas em cheio pelos resultados. Os democratas conseguem tornar-se contrapeso à hegemonia absoluta dos republicanos. A extraordinária afluência
  • Um insulto à inteligência
    Passaram três semanas sobre o momento em que Jamal Khashoggi entrou no consulado saudita em Istambul e nunca mais foi visto. No tempo da Guerra Fria havia casos assim de eliminação de dissidentes ou adversários, mas os espiões e matadores tinham fama
  • Desatentos ao marcante discurso de Marcelo
    O Presidente Marcelo fez na ONU um discurso que reforçou o crédito internacional de Portugal. Falou claro: disse, sem rodeios nem gorduras inúteis, qual é a posição portuguesa em relação às grandes questões políticas no mundo. Merece reflexão o facto
  • A estupidez de censurar
    A arte costuma ser um reflexo da realidade, não a realidade mesma. Não tem cabimento qualquer forma de censura ou manipulação da liberdade criadora. Muitas vezes, quase sempre, a intenção censória acaba por gerar maior apetite de ler, ouvir ou ver o

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos subscrevendo a nossa , as nossas notificações ou seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.
mookie1 gd1.mookie1