1. O que é a Carris Metropolitana?

A Carris Metropolitana é a nova empresa de transportes da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e entrará em funcionamento em duas fases (ver pergunta 3).

A Carris Metropolitana será agora a responsável pela operação rodoviária municipal em 15 dos 18 municípios da área metropolitana de Lisboa. Nos restantes três municípios da AML – Barreiro, Cascais e Lisboa – continuam a operar as atuais empresas TCB, Carris e Mobi Cascais, mas com interfaces intermunicipais.

2. Como está dividida?

A AML em termos de circulação de transportes ficou dividida por quatro áreas (ver mapa):

  • A área 1 (amarelo) engloba as carreiras dos municípios da Amadora, Oeiras e Sintra, e intermunicipais de ligação a Lisboa e Cascais, que vão ser operadas pela empresa Viação Alvorada, tendo 133 linhas (35 das quais novas).
  • A área 2 (verde) corresponde aos municípios de Mafra, Loures, Odivelas e Vila Franca de Xira (operados pela empresa Rodoviária de Lisboa) e intermunicipais de ligação a Lisboa, com 218 linhas (31 novas).
  • A área 3 (laranja) corresponde a Almada, Seixal e Sesimbra, que será operada pela empresa Arriva, e intermunicipais de ligação ao Barreiro e Lisboa, com 116 linhas (43 novas).
  • A área 4 (azul) diz respeito aos municípios de Alcochete, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal e será operada pela empresa Alça Todi, e intermunicipais de ligação ao Barreiro e Lisboa. Esta área prevê 111 linhas (21 novas).
créditos: DR

3. Quando entra em funcionamento?

A Carris Metropolitana arranca a 1 de junho de 2022 nos municípios de Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal (a área 4 da operação).

Nessa data, estarão a funcionar nestes municípios "237 autocarros, que farão cerca de 365 percursos em cerca de 153 linhas", números da Carris Metropolitana fornecidos ao SAPO24. Os autocarros a circular nestes concelhos "serão todos novos".

Um mês depois, a 1 de julho, começará a operar nos municípios correspondentes às áreas 1 (Amadora, Cascais, Lisboa, Oeiras e Sintra), 2 (Loures, Mafra, Odivelas e Vila Franca de Xira) e 3 (Almada, Seixal, Sesimbra).

4. Os números das linhas, rotas e horários vão mudar?

Sim, sim e sim.

  • No caso das linhas, está já disponível um conversor no qual poderá consultar o número da nova linha. Cada linha terá agora quatro dígitos, sendo que o primeiro corresponde à área em que o concelho se localiza (por exemplo, Alcochete - 40XX).
  • Também haverá "novos percursos com o objetivo de melhorar o serviço prestado", indicam no seu site.
  • Quanto aos novos horários, estes já foram disponibilizados online. Em resposta ao SAPO24, a Carris Metropolitana assegura que o serviço terá "mais horários disponíveis" e  "com maior frequência de passagem de linhas nas paragens".

Caso tenha dúvidas, a Carris Metropolitana disponibilizou uma linha telefónica (210 418 800) para ajudar os passageiros.

5. Vão mudar os locais de paragem dos autocarros?

De acordo com o site da Carris Metropolitana, as paragens corresponderão, maioritariamente, a paragens previamente existentes. No entanto, acrescentam, "surgirão também novas paragens com o objetivo de melhorar o serviço prestado".

6. Como vão ser os novos autocarros?

Não se confunda, os novos autocarros vão ser todos amarelos. De acordo com a Carris Metropolitana, serão também "adaptados à mobilidade reduzida, com wi-fi e powerbanks a bordo".

créditos: DR

7. E quanto aos preços?

Com a concentração da gestão do transporte rodoviário, vão terminar cerca de 900 títulos de transporte. Os preços vão variar consoante o tipo de linha e serão mais baratos se forem comprados antes (pré-pago) e mais caros a bordo:

  • Linha Próxima: 0,85 ou 1,25 euros;
  • Linha Urbana: 1,55 ou 2,60 euros;
  • Linha Rápida: 3,10 ou 4,50 euros;
  • Linha inter-regional: entre 2,60 ou 3,60 euros comprado a bordo, caso a carreira saia da AML.
créditos: DR

8. Será possível continuar a usar o Passe Navegante?

Mantêm-se os passes Navegante:

  • o Municipal, para circular dentro de um só concelho e que custa 30 euros;
  • o Metropolitano, que permite usar todos os transportes da área metropolitana e que custa 40 euros.

9. Como comprar bilhete?

Os espaços para compra presencial de títulos de transporte da Carris Metropolitana já abriram ao público nos cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa, na margem sul do Tejo, onde a nova transportadora começa quarta-feira (1 de junho) a operar.

Além do carregamento de títulos de transporte, os espaços Navegante disponibilizam apoio aos passageiros, como esclarecimento de dúvidas e adesão ao passe família, entre outros serviços.

Os títulos para viajar na Carris Metropolitana, passe ou Navegante pré-comprado, continuam a poder ser adquiridos ou carregados em caixas automáticas (multibanco), pontos Navegante e na rede de agentes Pagaqui da AML.

10. A Carris Metropolitana vai penalizar atrasos?

“Haverá uma maior promoção da pontualidade. Vamos saber, em tempo real, em que local está cada autocarro, e os operadores serão penalizados se houver atrasos”,  explicou Ana Oliveira, diretora de gestão de contratos na Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), citada pelo Expresso.

Ao SAPO24, fonte da Carris Metropolitana acrescenta que a empresa "monitorizará a avaliação do desempenho e a qualidade do serviço produzido".

"Existirá um sistema de reporte e monitorização dos serviços contratados, que terá como objetivo prover informações que permitam tanto a gestão contratual (indicadores de reporte), como a avaliação da qualidade dos serviços oferecidos (indicadores de monitorização)", explicam.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.