"Daqui a sete meses, por aí, estarei de volta ao mercado. E estou satisfeito por estar aqui, porque vou entrar no LinkedIn e ver o que aparece", disse o presidente americano, em tom e brincadeira, na cúpula de investimento estrangeiro SelectUSA. No evento, elogiou os Estados Unidos como "um extraordinário lugar para fazer negócios".

Não é a primeira vez que Obama brinca com a sua futura situação, ao afirmar que vai recorrer ao LinkedIn, comprada pela Microsoft.

Em fevereiro, Obama postou na rede social profissional sobre programas de ocupação para jovens e partilhou a sua primeira experiência de trabalho quando era adolescente: como vendedor de gelados em Honolulu.

"O meu primeiro trabalho de verão não era exatamente glamouroso, mas ensinou-me algumas lições valiosas. Responsabilidade. Trabalho duro. Equilíbrio entre amigos, família e escola", escreveu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.