António Costa respondia ao primeiro pedido de esclarecimento no debate na generalidade do Orçamento do Estado para 2018, que ficou a cargo do vice-presidente da bancada do PSD António Leitão Amaro.

“Há um problema em algumas situações para rendimentos de categoria B e, certamente, em sede de especialidade estamos disponíveis para encontrar resposta para essas situações, designadamente para situações de pequenos agricultores que possam estar a ser afetados”, assegurou António Costa.

António Leitão Amaro tinha acusado o Governo de “atacar” os trabalhadores independentes na proposta orçamental do próximo ano, salientando que milhares seriam “castigados com um aumento de impostos na ordem dos 15 ou 20%”.

Na resposta, o primeiro-ministro sublinhou que o Governo alargou a dedução específica para estes profissionais e criou um mecanismo que não contém uma elevada carga burocrática.

“Conseguimos criar uma situação onde, garantidamente, 90% dos titulares de rendimentos da categoria B pagarão menos IRS com o novo modelo. Mas se é possível melhorar, estamos disponíveis para melhorar”, assegurou.

Na proposta de Orçamento para 2018, o Governo prevê uma alteração do regime simplificado de tributação dos trabalhadores independentes em sede de IRS, onde se incluem os profissionais liberais (como advogados, cabeleireiros, explicadores, jornalistas, dentistas, veterinários e lojistas) mas também os trabalhadores com atividades comerciais ou industriais e com atividades agrícolas, silvícolas ou pecuárias.

Atualmente, este regime permite que não sejam consideradas as despesas suportadas com a atividade no apuramento do rendimento tributável dos chamados 'recibos verdes', sendo aplicado um coeficiente para esse efeito, que, na prática, funciona como uma dedução automática ao rendimento, fazendo com que o imposto incida apenas sobre uma parte do rendimento.

Por exemplo, o rendimento ganho pelos profissionais liberais é considerado apenas em 75% devido à aplicação de um coeficiente de 0,75 que se traduz numa dedução automática de 25%.

Na proposta do OE2018 são introduzidas alterações ao regime simplificado no sentido de limitar aquelas deduções automáticas, uma medida que tem sido amplamente criticada por vários fiscalistas e que o Governo já admitiu poder ser clarificada no debate parlamentar.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.