O alto-comissário das Nações Unidas para os Direitos humanos, Zeid Ra’ad al Hussein, afirmou esta segunda-feira que podem ter sido cometidos “crimes contra a humanidade” na Venezuela, no âmbito dos protestos antigovernamentais, e pediu a abertura de uma investigação internacional.

“A minha investigação sugere a possibilidade de se terem cometido crimes contra a humanidade, algo que apenas pode ser confirmado por uma investigação penal posterior”, afirmou o diplomata jordano, no seu discurso de abertura da 36.ª sessão do Conselho de Direitos Humanos.

Zeid al Hussein afirmou que apoia a criação de uma Comissão Nacional de Verdade e Reconciliação e defendeu que o modelo vigente na Venezuela “é desadequado” e deve ser revisto com o apoio da comunidade internacional.

Os protestos contra o Governo do Presidente Nicolás Maduro provocaram pelo menos 125 mortos desde abril, de acordo com o Ministério Público venezuelano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.