A lei foi votada pela maioria governamental que inclui a esquerda radical Syriza e a direita nacionalista Anel, e que dispõe de 153 dos 300 deputados. A oposição de direita e de extrema direita votou contra, enquanto os socialistas, comunistas e centristas se abstiveram. Além de dar acesso a seguro médico aos desempregados, a iniciativa inclui cuidados gratuitos para setores vulneráveis como crianças, deficientes e imigrantes.

Estas inciativas são parte do "programa paralelo" que o governo de Alexis Tsipras tinha prometido como contrapartida social ao programa de austeridade exigido pelos credores gregos em troca de empréstimos de 86 mil milhões de euros no último verão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.