Em entrevista à rádio Renascença, António Saraiva pediu em véspera da reunião de Concertação Social que o Governo crie legislação que obrigue os trabalhadores a serem testados à Covid-19.

Segundo o presidente da Confederação Empresarial de Portugal, já há empresas com problemas internos em mãos porque há trabalhadores que se recusam a coexistir com colegas não vacinados.

Saraiva pede ao Governo que torne os testes obrigatórios e que sejam pagos pelos próprios trabalhadores não vacinados. “Enquanto não vier a ser obrigatória a vacinação em termos legais então, pelo menos, que os trabalhadores sejam obrigados à testagem periódica e a seu cargo”, pediu Saraiva.

O líder dos empresários diz também que esta tem de ser “uma diretiva emanada do Governo, porque sendo dada às pessoas a liberdade de não serem vacinadas, não se lhes pode dar a liberdade de, com esse seu ato, aumentarem a probabilidade de infetarem uma comunidade empresarial, seja ela qual for”.

O pedido de Saraiva vem na sequência das notícias de que a Itália é o primeiro país da Europa a exigir o "passe verde" a trabalhadores, ou seja, obrigando-os a exibir o seu "passaporte sanitário" no trabalho, com a medida a entrar em vigor a 15 de outubro.

Quem não apresentar o certificado ou levar uma falsificação enfrentará multas financeiras e até mesmo a suspensão temporária do emprego, embora isso não signifique que possa ser despedido, disse a ministra do Trabalho, Andrea Orlando.

“O objetivo é aumentar a segurança no local de trabalho”, acrescentou a ministra, citada pela agência espanhola Efe.

O certificado, válido por via digital ou papel, demonstra que a pessoa recebeu pelo menos uma dose da vacina contra o coronavírus SARS-Cov-2″, ou teve a doença covid-19, ou foi submetido a um teste de rastreio que deu negativo nas horas que antecedem a sua apresentação, período que foi alargado agora das 48 para as 72 horas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.