Como é possível discutir Portugal e o futuro sem enquadrar o país, as políticas e os desafios na realidade europeia, que é cada vez mais a nossa?

Até ao dia das eleições, o podcast “O sapo e o escorpião” terá uma edição especial Legislativas2022, trazendo para o debate político os temas que marcam a atualidade de campanha, como o Serviço Nacional de Saúde, e discussões de fundo, como a reforma do sistema eleitoral, o voto obrigatório, o número de deputados ou o papel da Europa.

Na noite de todas as decisões, faz-se a análise dos resultados, ao vivo e em direto. No dia seguinte, 31 de janeiro, discute-se o futuro do país já com os votos contados.

São conversas que fazem a diferença, para ouvir no SAPO24, no Spotify e outras plataformas habituais de podcasts.

Paulo Sande acredita que o pecado original da integração europeia é Portugal ter apenas no seu horizonte o dinheiro que vem de Bruxelas; inicialmente os fundos estruturais, passados quase quarenta anos o "fenómeno" PRR - Plano de Recuperação e Resiliência.

Portugal devia estar a discutir até que ponto a Europa deve apostar na soberania europeia, assumir perante o resto do mundo uma posição própria e autónoma. Ou que grupos europeus relevantes podem ser competitivos a nível global ou a migração e os refugiados ou a política de defesa. Entre outros temas.

A Europa estagnou nos últimos 20 anos e Portugal tem uma quota-parte de responsabilidade, na medida em que alinhou no discurso que conduziu a isso. Hoje a escolha não é apenas entre o nacionalismo ou seguir em frente de olhos tapados, há a hipótese de experimentar caminhos e voltar para trás. Mas a solidariedade será sempre o "cimento" das nações.

Paulo Sande é um profundo conhecedor das instituições europeias. Autor e co-autor de várias publicações, é professor da cadeira de Construção Europeia do Curso de Ciência Política da Universidade Católica e foi responsável pelo setor português de informação no Parlamento Europeu, no Luxemburgo, e, no total, esteve 20 anos à frente do gabinete do Parlamento Europeu em Portugal.

Oiça também:

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.