“O acidente na Colômbia, que vitimou grande parte da equipa brasileira da Chapecoense, deixa de luto o mundo do desporto, em geral, e do futebol, em particular”, afirmou à Lusa o líder do organismo que superintende o futebol profissional.

Para Pedro Proença, “a perda de qualquer vida é lamentável e a sensação de perda enorme”.

Em termos pessoais, o líder da Liga referiu-se ao treinador do clube brasileiro, Caio Júnior, que jogou várias temporadas em Portugal.

“Não posso deixar de me referir pessoalmente sobre Caio Júnior, que era o treinador da equipa da Chapecoense, por ter sido um dos futebolistas que esteve ao serviço de equipas da Liga portuguesa, nomeadamente o Belenenses, o Estrela da Amadora e o Vitória de Guimarães. É um momento tremendamente triste”, disse à Lusa Pedro Proença.

Na sequência deste acontecimento, a Liga Portuguesa de Futebol Profissional decretou “um minuto de silêncio em todos os jogos a realizar entre 29 de novembro e 05 de dezembro, inclusive”.

A Liga tomou esta posição como “pesar pelas vítimas mortais do trágico acidente ocorrido hoje de madrugada, na Colômbia, com a equipa brasileira Associação Chapecoense de Futebol”.

Um avião que transportava 81 pessoas, entre as quais a equipa brasileira de futebol da Chapecoense, caiu na madrugada de hoje na Colômbia, perto de Medellín, provocando 75 mortos.

Entre os seis sobreviventes, constam três futebolistas da equipa brasileira, que ia disputar a primeira mão da final da Taça Sul-Americana, com os colombianos do Atlético Nacional, em Medellín.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.