"A situação está bastante melhor. Durante a noite ou amanhã [quarta-feira] de manhã, o incêndio será dado como dominado", disse à agência Lusa Vítor Vaz Pinto sobre o fogo que já provocou 64 mortos e 135 feridos.

Vaz Pinto falava após um ‘briefing' com os comandantes de setores, que terminou por volta das 04:00, no posto de comando instalado em Avelar, no concelho de Ansião (Leiria).

No entanto, o comandante operacional sublinhou que é preciso ter algumas ressalvas, caso haja alterações das condições atmosféricas.

Segundo Vítor Vaz Pinto, a situação mais preocupante é o incêndio que lavra no norte do concelho de Castanheira de Pera e "que vai em direção à Lousã".

"Felizmente, já não é uma frente, mas é um ponto sensível e temos de garantir a consolidação da extinção por forma a garantir que o incêndio não se vai propagar, atendendo ao histórico que aqui os incêndios têm", vincou o também comandante distrital de Faro e antigo comandante nacional.

De acordo com Vítor Vaz Pinto, durante a noite foi definida uma ação concertada, para que, logo ao amanhecer, se possa "pôr os meios de forma mais eficiente" no terreno.

"Todas as ações possíveis de fazer durante a noite estão a ser desenvolvidas e está-se a preparar algumas ações para o amanhecer, nomeadamente os meios aéreos, nos locais que são os pontos quentes", referiu.

Mesmo depois de estar dominado o incêndio, o comandante vincou que a fase de consolidação e de rescaldo "vai ser muito morosa", face às grandes dimensões do perímetro, o que vai obrigar "a uma organização diferenciada no teatro de operações", num trabalho que poderá "durar dias".

O incêndio começou em Pedrógão Grande, no sábado à tarde, e alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e Coimbra, pelo município de Pampilhosa da Serra.

Mais de 2200 operacionais no terreno esta madrugada

Os incêndios que lavravam pelas 04:30 de hoje em Portugal juntam 2.220 operacionais no terreno, auxiliados por 753 viaturas, sendo que 1.077 bombeiros combatem as chamas em Pedrógão Grande, de acordo a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

Ao todo, a ANPC registava esta madrugada 13 incêndios, sendo que três estavam em curso, um em resolução e nove em fase de conclusão.

O maior número de operacionais estava concentrado em Pedrógão Grande, onde se encontravam 1.077 bombeiros, auxiliados por 373 viaturas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.