O edifício “Plasco” situa-se no centro da capital iraniana, a norte da zona do mercado.

A cadeia Press TV anunciou as mortes dos bombeiros, sem dar uma fonte para a informação. A televisão acrescentou que 30 civis ficaram feridos no acidente, enquanto a agência noticiosa iraniana IRNA adiantou que 45 bombeiros se encontravam entre os feridos.

Os bombeiros combateram as chamas durante várias horas antes de o edifício ruir.

A polícia tentou impedir os lojistas e outras pessoas de entrarem no prédio para recolherem bens pessoais.

O “Plasco” desmoronou-se em poucos segundos, de acordo com as imagens transmitidas pela televisão estatal.

Uma nuvem espessa de fumo castanho pairava sobre o local após a derrocada.

Um porta-voz dos bombeiros, Jalal Maleki, disse à televisão estatal iraniana que dez corporações de bombeiros responderam ao alerta, dado às 08:00 locais.

A mesma televisão referiu que mais de 200 efetivos estavam no local.

As forças armadas iranianas enviaram unidades para ajudar a combater as chamas, acrescentou a TV.

O “Plasco”, de 17 andares, foi construído no início da década de 1960 pelo empresário judeu iraniano Habib Elghanian. Com o nome da empresa de plásticos de Elghanian, era o edifício mais alto da cidade naquela época.

Elghanian foi julgado por vários crimes, incluindo espionagem, e executado nos meses que se seguiram à revolução islâmica de 1979, que colocou no poder o atual poder e desencadeou a fuga da antiga comunidade judaica do Irão.

A torre está ligada a um centro comercial de vários andares, com um átrio com luz natural e várias fontes de cor turquesa.

A agência noticiosa Associated Press (AP) afirmou não ter sido possível saber, até ao momento, se o centro comercial também sofreu danos.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.