"Nós sabemos, sem sombra de dúvida, que os números de participação nesta última eleição foram manipulados”, explicou esta quarta-feira numa conferência de imprensa, em Londres, o presidente-executivo da Smartmatic, Antonio Mugica, noticia a agência Reuters.

"Nós estiamos que a diferença da participação real e aquela anunciada pelas autoridades está, pelo menos, num milhão de votos", assegurou.

O sistema eletrónico desenvolvido pela Smartmatic é utilizado pelo Governo venezuelano desde 2004. No entanto, de acordo com a Reuters, Mugica recusou responder, pelo menos de forma direta, se esta manipulação alterou o desfecho das eleições.

Esta notícia surge depois da Reuters ter anunciado que, pela sua própria contagem, cerca das 17h30 de domingo, uma hora e meia antes de fecharem as urnas, apenas tinham votado 3,7 milhões de pessoas — algo que fica longe dos números anunciados pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela, que indicaram que 8.089.320 pessoas votaram nas eleições para a Assembleia Constituinte.

A eleição da levada a cabo pelo Presidente Nicolas Maduro tem sido alvo de críticas, pois é tido que o objetivo primordial do Chefe de Estado venezuelano passa por alterar a constituição e aumentar o poder do executivo.

Mais de 19,8 milhões de venezuelanos foram chamados para escolher os 545 membros da Assembleia Nacional Constituinte que vão redigir uma nova Constituição.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.