A vice-presidente da Assembleia da República, Teresa Caeiro, vai receber na sexta-feira à tarde, no parlamento, uma delegação do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) que lhe vai entregar uma petição com mais de 13 mil assinaturas a reivindicar o reconhecimento da profissão de tripulante de cabine como sendo de desgaste rápido, refere o sindicato em comunicado.

O SNPVAC alega que os comissários e assistentes de bordo, chefes de cabine e supervisores de cabine, quando “exercem a sua atividade a bordo de aeronaves, encontram-se expostos a riscos profissionais e a fatores de desgaste penalizantes, idênticos aos que se encontram nas várias profissões já consagradas com o estatuto de profissão de desgaste rápido”.

Argumenta ainda que a profissão de tripulante de cabine “tem cumulativamente horários disruptivos, distúrbio do sono, exposição a radiação cósmica e contaminação do ar da cabine por meio de organofosfatos”.

Esta petição visa pedir publicamente aos deputados que legislem para que seja consagrado o estatuto de profissão de desgaste rápido para os tripulantes de cabine, “sem qualquer penalização”.

O sindicato pretende ainda que seja reduzida a idade de reforma para os tripulantes de cabine em sete anos, face à prevista na lei em cada momento em vigor e sem qualquer penalização.

Defende igualmente a reforma imediata, por opção, a quem possuir 35 anos de serviço a trabalhar como tripulante de cabine, sem qualquer penalização.

A petição, iniciada a 04 de fevereiro, conta já com mais de 13 mil assinaturas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.