Em comunicado, a PJ refere que, através da Diretoria do Norte e com a colaboração da PSP do Porto, o suspeito foi detido fora de flagrante delito e está indiciado pela prática de um furto qualificado de arte sacra, ocorrido no início do mês.

“No decurso da investigação, foi possível apreender as quatro peças de arte sacra furtadas, de valor patrimonial e histórico significativo”, refere a PJ, acrescentando que os bens tinham sido “vendidos por um valor diminuto a uma comerciante, que foi indiciada pela prática do crime de recetação”.

O suspeito, desempregado e já com antecedentes criminais por este e outros tipos de crimes, vai ser presente às autoridades para primeiro interrogatório e aplicação das medidas de coação tidas por adequadas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.