"Permitam-me que nas minhas primeiras palavras nesta intervenção envie um abraço em nome da família socialista europeia a um grande socialista, a um grande companheiro, António Costa", disse Pedro Sánchez ao plenário do congresso do Partido Socialista Europeu (PSE), que decorre em Málaga, Espanha.

Sánchez acrescentou que "os companheiros socialistas portugueses sabem que podem contar com o PSOE e com todos os socialistas europeus para ganhar as próximas eleições em Portugal em 10 de março".

Na sexta-feira, na abertura do congresso de Málaga, o presidente do Partido Socialista Europeu referiu-se também à demissão de António Costa e aos "acontecimentos ainda em desenvolvimento em Portugal", a investigação judicial que envolve membros do Governo.

"Temos de esperar e conhecer a história toda. Mas deixem-me dizer que a nossa família política está sempre do lado do Estado de Direito e sempre contra a corrupção. Estamos por isso chocados e tristes com estas notícias", afirmou Stefan Löfven, antes de acrescentar que é preciso também "respeitar a presunção de inocência".

"E deixem-me aproveitar esta oportunidade para agradecer a António Costa pelo trabalho e pelas conquistas incríveis como primeiro-ministro. Quero elogiar a sua liderança e a coragem em demitir-se para preservar a dignidade do cargo, mesmo sem ter sido acusado", acrescentou Stefan Löfven, num momento que a assembleia aplaudiu.

Também hoje o congresso aplaudiu Sánchez quando referiu o nome de António Costa e manifestou apoio ao Partido Socialista (PS).

Portugal vai ter eleições legislativas antecipadas em 10 de março de 2024, marcadas pelo Presidente da República, na sequência da demissão do primeiro-ministro, na terça-feira.

António Costa é alvo de uma investigação do Ministério Público (MP) no Supremo Tribunal de Justiça, após suspeitos num processo relacionado com negócios sobre o lítio, o hidrogénio verde e um centro de dados em Sines terem invocado o nome do primeiro-ministro como tendo intervindo para desbloquear procedimentos.

No dia da demissão, Costa recusou a prática “de qualquer ato ilícito ou censurável”.

O Partido Socialista europeu está reunido em Málaga, com o socialista espanhol Pedro Sánchez como anfitrião.

Stefan Löfven considerou na sexta-feira que um dos momentos mais importantes para os socialistas europeus dos últimos meses ocorreu precisamente em Espanha, com o resultado das eleições de 23 de julho e "a prova" de que é possível derrotar o populismo e os partidos reacionários.

O PSOE, o segundo mais votado nas eleições, fechou na sexta-feira os últimos acordos com uma 'geringonça' parlamentar que integra oito partidos e que deverá reconduzir Pedro Sánchez como primeiro-ministro na próxima semana.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.