Segundo a fonte, o projeto – designado biP.PORTO e financiado em 85% pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR) - pretende "alterar as formas de mobilidade dos estudantes".

Em declarações à agência Lusa, o administrador referiu que qualquer estudante das oito escolas do Politécnico do Porto pode usufruir, gratuitamente, das bicicletas, que têm um período de utilização de um semestre a um ano letivo.

Para o empréstimo das bicicletas elétricas, os estudantes terão um processo de candidatura que, de acordo com Paulo Ferraz, irá ser aberto em janeiro.

Em comunicado alusivo, o Instituto Politécnico explica que o meio de transporte atual, o período de utilização requerido, o tipo de utilização e os quilómetros previstos representam as questões "relevantes" na avaliação do pedido.

Quanto à distribuição das bicicletas elétricas, será feita de acordo com a percentagem de alunos por escola, refere o comunicado.

As oito escolas do Politécnico do Porto vão ter parques exclusivos para as bicicletas, assim como postos de carregamento elétrico.

Nas suas declarações à Lusa, o administrador Paulo Ferraz revelou que dois estudantes da área do Design do Politécnico do Porto vão desenhar o capacete e o colete a usar pelos utilizadores das bicicletas.

Para Paulo Ferraz, a utilização de bicicletas elétricas por parte da comunidade académica do Politécnico do Porto vai contribuir para uma "redução das emissões de gases" com efeito de estufa.

Este projeto conta como parceiros a Área Metropolitana do Porto, a Federação Académica do Porto e a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.