As vítimas foram torturadas pela população e enterradas vivas, acusadas de pertencerem a um grupo que rouba gado no distrito de Muamba, na província de Maputo, disse à comunicação social o chefe do Posto Administrativo de Maluane, Juvenal Sigauque.

“O caso ocorreu no dia 20 [segunda-feira], quando um criador de gado notou que havia invasores no seu curral. Ele chamou a população e os supostos meliantes foram amparados e enterrados vivos”, declarou Juvenal Sigauque.

A Polícia da República de Moçambique destacou uma equipa para investigar o caso, mas três dos seus agentes também foram amarrados, torturados e enterrados vivos pela população.

“A Polícia dirigiu-se à zona na perspetiva de ir identificar o local onde os corpos dos supostos meliantes estavam enterrados e tentar esclarecer o assunto. Na sequência disso, a comunidade terá confundido os agentes da polícia com os meliantes”, declarou Juvenal Sigauque.

Na tarde de hoje, várias pessoas instalaram-se no posto policial local, reivindicando a libertação de alguns membros da comunidade que foram detidos após os dois episódios.

A polícia moçambicana foi obrigada a reforçar o seu contingente policial.

Até o fim da tarde de hoje, os corpos das sete vítimas não tinham sido exumados.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.