Em declarações à Lusa, o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, lamentou o ataque e transmitiu uma mensagem de solidariedade às famílias das vítimas e às autoridades canadianas.

Seis pessoas morreram e outras oito ficaram feridas num ataque contra uma mesquita no Quebeque, Canadá, perpetrado ao início da noite de domingo por dois homens encapuzados, que dispararam contra os fiéis. Dois suspeitos foram detidos após o ataque.

“Portugal não distingue entre atentados terroristas. São tão graves os atentados terroristas cometidos contra feiras de natal na Alemanha ou contra pessoas que celebram pacificamente festas populares, como em França, como contra mesquitas ou outros locais de culto, sejam de que religiões forem”, disse o chefe da diplomacia portuguesa.

O Governo português defende que “todos os atentados terroristas são condenáveis” e que a “luta contra o terrorismo deve ser contra todas as formas, seja qual for a sua orientação política, seja qual for a sua inspiração religiosa, se houver, seja qual for o seu discurso justificativo”.

“Todas são formas bárbaras, que violam direitos básicos de cidadãos indefesos”, sublinhou.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, e o primeiro-ministro da província do Quebeque, Philippe Couillard, já condenaram o ataque, que classificaram como terrorista.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.