Segundo fontes diplomáticas, o voo deverá descolar do Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía (28 quilómetros a norte da capital) pelas 17:00 locais de sábado (22:00 em Lisboa).

Trata-se de um avião fretado, operado pela companhia aérea portuguesa Hifly que tem 367 passageiros confirmados.

Entre os 184 portugueses, mais de 30 são oriundos da ilha da Madeira, que vão ser depois encaminhados para o Funchal.

Os restantes passageiros são cidadãos europeus com residência oficial em países da União Europeia.

Este é o primeiro voo de repatriamento organizado por Portugal, país que prestou assistência através dos consulados e da Embaixada lusa na Venezuela, a 51 portugueses que foram repatriados desde finais de março, em voos organizados pela União Europeia e Espanha para cidadãos europeus.

A 28 de maio, o consulado-geral de Portugal em Caracas emitiu um comunicado informando os portugueses que estava a “organizado um voo de regresso a Portugal, para o próximo dia 13 de junho (sábado), visando única e exclusivamente levar os cidadãos portugueses — e outros cidadãos de países da União Europeia com residência legal e comprovada na Europa — que ficaram retidos na Venezuela”.

Segundo o comunicado, “o custo de cada bilhete de avião é de 796,00 Euro (euros)”.

Os interessados tiveram até 01 de junho para informar os consulados de que pretendiam regressar e cumprir com vários requisitos, entre eles comprovativos de residência em Portugal ou noutro país europeu.

Em 26 de março, a companhia aérea espanhola Plus Ultra realizou o primeiro voo organizado por Espanha para transportar cidadãos europeus, no qual foram repatriados 18 cidadãos portugueses.

A 16 de abril outros 30 portugueses foram repatriados no segundo voo da Plus Ultra.

Por outro lado, a 23 de maio último, cinco portugueses com residência comprovada em Espanha foram repatriados para Madrid, num voo da mesma companhia aérea.

Na Venezuela estão oficialmente confirmados 2.814 casos de pessoas infetadas e 23 mortes associadas ao novo coronavírus. Estão ainda dados como recuperados 487 pacientes.

A Venezuela está desde 13 de março em estado de alerta, o que permite ao executivo decretar “decisões drásticas” para combater a pandemia.

Os voos nacionais e internacionais estão restringidos no país.

Desde 16 de março que os venezuelanos estão em quarentena e impedidos de circular livremente entre os vários estados do país.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 421 mil mortos e infetou mais de 7,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.505 pessoas das 36.180 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.