Portugal regista hoje mais oito mortes causadas pela covid-19 e mais 229 casos nas últimas 24 horas (82% dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo).

De acordo com o boletim epidemiológico da DGS, o número de mortos relacionadas com a covid-19 ascende hoje a 1.576 pessoas enquanto os casos confirmados desde o início da pandemia totalizam 42.141 infetados.

O número total de pessoas recuperadas subiu para 27.505 (mais 300 do que ontem e o número mais elevado desde 21 de junho).

Estão atualmente 491 doentes internados, 73 dos quais nos cuidados intensivos. Em ambas as situações verifica-se um aumento de dois doentes relativamente aos dados de segunda-feira.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu hoje os 19.165 casos, mais 188 do que na segunda-feira.

Esta região tem atualmente 45% dos infetados em todo o país.

Em Portugal continental registou-se um aumento do número de infetados, com o norte a representar a segunda região com maior crescimento. Nesta região, a DGS contabiliza mais 20 pessoas infetadas com o novo coronavírus, atingindo hoje as 17.521.

Estas são as principais recomendações das autoridades de saúde à população

O surto do novo coronavírus detetado na China tem levado as autoridades de saúde a fazer recomendações genéricas à população para reduzir o risco de exposição e de transmissão da doença. Eis algumas das principais recomendações à população pela Organização Mundial da Saúde e pela Direção-geral da Saúde portuguesa:

  • Lavagem frequente das mãos com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Ao tossir ou espirrar, fazê-lo não para as mãos, mas para o cotovelo ou para um lenço descartável que deve ser deitado fora de imediato;
  • Evitar contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Evitar contacto direto com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Deve ser evitado o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24).

A região Centro surge na posição seguinte da lista das regiões com maior crescimento do número de infetados, tendo registado mais 10 do que na segunda-feira, o que totaliza 4.110 pessoas infetadas com covid-19.

Também no Alentejo foram detetados mais sete infetados, atingindo 484, enquanto o Algarve somou mais três doentes, chegando aos 618.

Os Açores registam 150 casos de infeção pelo novo coronavírus SARS-Cov-2, o mesmo número de segunda-feira, e 15 mortos, continuando também a Madeira com 92 pessoas infetadas e sem qualquer óbito registado.

A região de Lisboa e Vale do Tejo é a segunda com maior número de óbitos (473), mais cinco do que na segunda-feira.

O Norte regista hoje mais um morto, totalizando 818, seguindo-se o Centro, com 248 óbitos, o Algarve com 15 mortos e o Alentejo regista sete mortos, mais dois do que na segunda-feira.

Na distribuição dos casos infetados por concelhos, Lisboa é o que regista o maior número de casos, com 3.502 (mais 49 do que na segunda-feira), seguido por Sintra, com 2.668 (mais 54).

No terceiro lugar dos concelhos com mais infetados encontra-se Loures, com um total de 1.827 (mais 15), seguindo-se a Amadora, com 1.697 (mais 31 infetados do que na segunda-feira), e Vila Nova de Gaia, com 1.650 (mais um).

Ainda acima dos mil casos, contam-se o Porto, que manteve os 1.414 casos de infeções, Matosinhos, que também continua com o mesmo número registado de segunda-feira, 1.292, e Braga, que também mantém o número anterior, somando 1.256 doentes.

A lista dos concelhos com mais de mil infetados inclui ainda Gondomar, com 1.093 casos, e Odivelas, com 1.101, mais três do que na segunda-feira.

Os dados do relatório da DGS indicam que, do total de mortes registadas até hoje, 786 são homens e 790 são mulheres.

Por faixa etária, o maior número de mortes regista-se entre as pessoas com 80 ou mais anos (1.056), seguida pela faixa entre os 70 e os 79 anos (304).

Entre a população com idades compreendidas entre os 60 e 69 anos há 144 mortes, além de 50 mortes entre as pessoas com idade entre os 50 e os 59 anos.

Entre os 40 e os 49 anos houve 18 mortos, duas entre os 30 e os 39 anos e duas na faixa etária dos 20 aos 29 anos.

Em termos globais, a faixa etária mais afetada pela doença é a dos 40 aos 49 anos (7.013), seguida da faixa entre os 30 e os 39 anos (6.721) e das pessoas com idades compreendidas entre os 50 e os 59 anos (6.616).

Nas faixas etárias mais jovens, entre os 20 e os 29 anos, registam-se 6.146 casos e, entre os 10 e os 19 anos, 1.723, enquanto nas crianças até aos nove anos há 1.232 casos.

A DGS contabiliza ainda 4.339 casos na faixa etária dos 60 aos 69 anos, 3.039 entre os 70 e os 79 anos, e 3.569 com mais de 80 anos.

A aguardar resultado laboratorial de testes estão 1.454 pessoas e em vigilância pelas autoridades de saúde estão 31.413.

Desde o dia 01 de janeiro, Portugal registou 380.476 casos suspeitos, segundo adianta o boletim, referindo que 27.505 recuperaram, mais 300 do que no sábado.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.