A lei de financiamento dos partidos e de campanhas eleitorais determina, no seu artigo 17.º, que tem direito a esta subvenção “os candidatos à Presidência da República que obtenham pelo menos 5% dos votos”.

Nem um nem o outro conseguiram ultrapassar esse patamar: João Ferreira obteve, segundo os resultados provisórios, 4,32% (180.473 votos) e Marisa Matias 3,95% (164.731 votos).

Nas eleições de domingo, os candidatos comunista e bloquista foram os admitiam gastar valores mais elevados. A candidatura de João Ferreira apresentou um orçamento de 450 mil euros e a de Marisa Matias 250 mil euros.

No total, o Estado destina três milhões e meio de euros (80% de 10 mil vezes o Indexante de Apoios Sociais, que este ano é de 438,81 euros) a todas as candidaturas.

O valor reparte-se em duas parcelas: 20% é distribuído em partes iguais entre os candidatos e 80% são entregues proporcionalmente, tendo em conta os votos obtidos.

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito Presidente da República nas eleições de domingo, com 60,70% dos votos, segundo os resultados provisórios apurados em todas as 3.092 freguesias.

Ana Gomes foi a segunda candidata mais votada, com 12,97%, seguindo-se André Ventura com 11,90%, João Ferreira com 4,32%, Marisa Matias com 3,95%, Tiago Mayan Gonçalves com 3,22% e Vitorino Silva com 2,94%.

A abstenção foi de 60,5%, a percentagem mais elevada de sempre em eleições para o Presidente da República.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.