O avião presidencial aterrou pouco depois das 12:00 (05:00 em Lisboa) no aeroporto de Hong Kong, marcando o início de uma visita de três dias que termina no sábado, com a investidura de Carrie Lam, eleita em março, que vai tornar-se na primeira mulher a desempenhar o cargo de chefe do Executivo de Hong Kong.

Um forte dispositivo de segurança foi montado em todo o território, particularmente para evitar qualquer tipo de protesto capaz de “beliscar” a visita de Xi.

Polícias e barricadas alinham-se nas ruas em torno do centro de convenções, onde decorrem as comemorações, e do hotel, onde Xi Jinping, deverá permanecer a maior parte do tempo da estada.

Três grupos pró-democracia afirmaram que 26 dos seus membros foram detidos na quarta-feira por distúrbios, na sequência de uma concentração em torno da escultura da flor de bauhinia, emblema da cidade.

A escultura foi um presente de Pequim a Hong Kong, em 1997, aquando da transferência do Reino Unido para a China.

Entre os detidos, contam-se Joshua Wong, rosto do movimento pró-democracia que ocupou as ruas da cidade durante quase três meses em 2014, e Nathan Law, outro líder estudantil, que faz parte do partido a que pertence Joshua Wong, o Demosisto, eleito em setembro para o LegCo (parlamento).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.