Questionado pelos jornalistas à margem de uma conferência em Lisboa sobre a ausência de acordo entre os sindicatos e o executivo, Marcelo Rebelo de Sousa explicou que tem evitado pronunciar-se sobre o assunto “até porque esperava por encontros entre o Governo e sindicatos”.

Agora, disse, espera pela “decisão unilateral do Governo” e continua “disponível para receber os professores”, se “for essa a sua intenção”.

“Isto é, [espero] pelo diploma legal que há de chegar às minhas mãos traduzindo a posição do Governo e, já agora, também continuo disponível para receber os professores como disse se for essa a sua intenção”, afimou.

Na passada sexta-feira, no final de reunião de negociação no Ministério da Educação, o ministro da tutela, Tiago Brandão Rodrigues, anunciou que o Governo avança unilateralmente, sem acordo dos sindicatos, com a devolução de apenas dois anos, nove meses e 18 dias dos mais de nove anos de tempo de serviço congelados, a partir de 01 de janeiro de 2019, algo que os sindicatos já garantiram que não vão aceitar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.