"Foi com profundo pesar que tomei conhecimento das explosões que ocorreram hoje (sábado) junto ao estádio do clube de futebol Besiktas, em Istambul (...). Condeno, de forma veemente, este bárbaro ataque contra vítimas inocentes", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, numa declaração publicada no 'website' oficial da Presidência da República.

Marcelo Rebelo de Sousa transmitiu ainda, ao chefe de Estado da Turquia, "toda a solidariedade para com o povo turco e, de modo particular, para com as famílias das vítimas", dirigindo-lhes as "mais sentidas condolências".

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que um dos dois atentados de hoje em Istambul matou vários polícias, sem avançar números. Entretanto, o ministro da Saúde disse que os dois ataques causaram a morte a 15 pessoas e feriram outras 69.

"Infelizmente há mártires (mortos) e feridos" disse Erdogan num comunicado, sem avançar detalhes sobre o número de vítimas provocado pela explosão de um carro armadilhado junto ao estádio do clube de futebol Besiktas.

"Um ato de terrorismo teve como alvo as nossas forças de segurança e os cidadãos da zona de Besiktas", afirmou o Presidente da Turquia. Besiktas é também o nome do bairro do estádio do clube de futebol.

Um carro armadilhado explodiu nas imediações do estádio do Besiktas pelas 22:30 (19:30 em Lisboa), uma hora depois de um jogo de futebol do Besiktas contra o Bursaspor.

Pela mesma altura, houve uma segunda explosão, confirmada mais tarde pelo ministro do Interior, que foi provocada por um bombista-suicida, no parque Maçka, nas proximidades do estádio.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.