Num comunicado de imprensa, divulgado na terça-feira à noite, a Casa Civil do Presidente da República indica que João Lourenço nomeou, para as Forças Armadas, três tenentes-generais, dois generais, um almirante e um contra-almirante, e, para a Polícia Nacional, um comissário chefe, três comissários e um subcomissário.

No exército, João Lourenço, e enquanto comandante em chefe, tomou a decisão de acordo com os termos da Constituição angolana e ao abrigo da Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas, mudanças que não envolveram o topo da hierarquia castrense.

No efetivo policial, sem que também se tenha registado alterações nas chefias de topo, João Lourenço tomou a decisão ao abrigo da Lei que Regula os Postos e Distintivos da Polícia Nacional.

Em ambos os casos, as decisões foram tomadas depois de ouvido o Conselho de Segurança Nacional.

Noutro despacho, o Presidente angolano promoveu na hierarquia policial quatro oficiais comissários e superiores.

O Presidente emitiu ainda uma ordem para passagem à reforma, por limite de idade, dos oficiais generais Baltazar Diogo Cristóvão e Maurício Amado Nzulo.

Na Polícia Nacional, foi licenciado, ainda através de uma ordem assinada por João Lourenço, o Comissário Geral Armindo Fernandes do Espírito Santo Vieira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.