A princesa Mako e Kei Komuro querem casar ainda este ano, sem algumas das tradicionais cerimónias imperiais, algo que é visto pela imprensa nipónica como sendo uma escolha pouco comum.

Paralelamente, e de acordo com Japan Times, o casal está preparado para rejeitar 150 milhões de ienes (mais de 1,3 milhões de dólares) que por norma são concedidos às mulheres da família imperial que abdicam do seu título de modo a casar com alguém fora da realeza.

Ainda que estes intentos não sejam confirmados de forma oficial, ocupam as manchetes da imprensa japonesa. Os meios de comunicação também afirmam que o casal pretende mudar-se para os Estados Unidos.

A princesa de 29 anos, filha do irmão mais novo de Nahurito, o príncipe Fuhimito Akishino, anunciou em 2017 o compromisso com Kei Komuro, também de 29 anos, um advogado que conheceu na universidade.

Sob as regras da sucessão imperial do Japão, Mako perderá o título real ao casar com um plebeu.

Além disso, Komuro é alvo de investigação da imprensa após denúncias de que a sua mãe recebeu dinheiro emprestado de um ex-noivo e não pagou.

Depois de os jornais sensacionalistas darem destaque à denúncia, o jovem casal virou alvo de grande furor e os dois optaram por adiar o casamento, previsto inicialmente para 2018.

Komuro mudou-se para os Estados Unidos para estudar Direito, uma decisão que foi considerada uma forma de reduzir a atenção negativa.

O príncipe Akishino disse no ano passado que apoia o casamento da filha, mas que esta precisa de ganhar o apoio da opinião pública japonesa.

Mako é irmã do príncipe Hisahito, de 14 anos, o único homem na linha de sucessão ao trono além do seu pai.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.