“As investigações vão continuar”, refere um comunicado da Procuradoria francesa acrescentando que as provas ainda estão a ser recolhidas.

O relatório da polícia sobre o suposto emprego fictício de Penelope Fillon, casada com o candidato da direita francesa às presidenciais de 23 de abril, foi enviado na quarta-feira para a Procuradoria.

O inquérito preliminar, com data de 25 de janeiro, e que partiu de notícias publicadas na imprensa, indica que alegadamente foram utilizados fundos públicos na contratação fictícia de Penelope Fillon como assistente parlamentar do marido.

O caso afetou a popularidade de Fillon que foi ultrapassado pela candidata da extrema-direita Marine Le Pen e perlo centrista Emmanuel Macron, nas intenções de voto dos eleitores franceses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.