A concentração está marcada para as 16:00 e foi convocada pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof), segundo a qual a falta de portarias com as vagas de acesso a escalões superiores está a lesar “gravemente” os professores.

Diz a Federação que professores que deviam ter transitado aos 5.º e 7.º escalões de carreira em 2010 ainda não o fizeram, pela falta da tal portaria e pela proibição posterior de valorizações salariais. E professores - diz também - que ingressaram na carreira nos concursos externos de 2013 e posteriores continuam igualmente sem progressão.

São situações que “produzem injustiças gritantes” e por isso os professores se manifestam para exigir “que o Governo publique, finalmente, as portarias em falta há seis anos”.

Avisa a Fenprof que os sindicatos também vão recorrer para os tribunais e que hoje mesmo serão entregues ações em representação dos associados, com o mesmo objetivo, “a emissão da portaria” que lhes permita integrar os escalões da carreira onde estão colegas com igual tempo de serviço.

E avisa também que a concentração de hoje é o início de “uma luta mais ampla dos docentes portugueses em defesa das suas carreiras, que estão congeladas há seis anos consecutivos, pretendendo o Governo que assim se mantenham, pelo menos, em 2017”.

Em comunicado a Fenprof explica que, na concentração, os professores vão empunhar cartazes denunciando as suas situações específicas, que são entregues no Ministério no final do protesto, juntamente com a posição que vier a ser aprovada.

E resume também, no mesmo documento: “Recorda-se que, para além do congelamento das carreiras e das irregularidades que atingem cerca de 7.500 docentes, os professores já perderam mais de 8 anos de serviço, que cumpriram e sobre os quais fizeram os indispensáveis descontos”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.