“Lamento porque verificamos que a direita abandonou o centro político do país, temos uma direita mais à direita”, afirmou José Luís Carneiro, em declarações aos jornalistas, desejando “as maiores felicidades” ao novo líder do CDS-PP eleito no 28.º Congresso, em Aveiro.

Quanto ao conteúdo do discurso de encerramento de Francisco Rodrigues dos Santos, o secretário-geral adjunto socialista disse que irá aguardar “porque para além das generalidades pouco mais se conseguiu extrair”.

“Houve um conjunto grande de generalidades e `slogans´, do ponto de vista concreto não vimos nada”, respondeu.

Por outro lado, considerou, o CDS-PP reconheceu “que o discurso radical de crítica e contestação ao primeiro-ministro e ao Partido Socialista teve resultados catastróficos para o CDS”.

“Aguardamos agora por uma alternativa e por alternativas políticas”, disse, sublinhando que o PS “dialoga com todos aqueles que queiram apresentar propostas para o país”.

O 28.º Congresso do CDS-PP terminou hoje em Aveiro, com a eleição dos órgãos dirigentes. No discurso de encerramento, o presidente, Francisco Rodrigues dos Santos comprometeu-se hoje a “arregaçar as mangas”, unir o partido e torná-lo numa “nova direita” para liderar a oposição, recusando ser “mordomo" de outro partido.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.