O pedido, que vai ainda ser debatido e votado, consta da agenda da primeira Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, na qual foi incluído um requerimento apresentado pelo grupo parlamentar do PSD “pedindo escusa e redistribuição do parecer sobre a adequação constitucional e regimental” do projeto de resolução do Chega.

A elaboração deste parecer tinha ficado atribuída à deputada do PSD, Paula Cardoso.

O projeto de resolução apresentado pelo Chega visa condenar o comportamento do presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, acusando-o de ausência de imparcialidade e de isenção no exercício do seu cargo.

Foi o próprio presidente do parlamento, no final de julho, a pedir um parecer sobre a admissibilidade deste projeto à Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, apontando ter “dúvidas muito fundas e muito complexas”.

Os últimos meses de trabalhos parlamentares ficaram marcados por alguns momentos de tensão entre Augusto Santos Silva e a bancada parlamentar do Chega, que culminaram no abandono do hemiciclo pelos deputados do partido, em protesto, no último plenário antes da pausa para férias, em julho.

A saída ocorreu depois de Santos Silva ter comentado uma intervenção do líder do Chega sobre estrangeiros em Portugal, na qual o PAR salientou que o país “deve muito, mas mesmo muito aos muitos milhares de imigrantes” que vivem e trabalham em Portugal.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.