Investigadores da London School of Economics (LSE) e da Universidade de Edimburgo estão a desenvolver um teste para medir o quociente de inteligência (QI) de cães. O QI já é usado como uma medida padrão para avaliar as capacidades cognitivas dos humanos.

Os cientistas acreditam que se conseguirem medir o QI dos cães, podem responder a muitas questões sobre a saúde dos mesmos, uma vez que inteligência e saúde caminham de mãos dadas. Estudos recentes provam que pessoas mais inteligentes tendem a viver mais tempo. 

Caso o mesmo seja provado no domínino canino, os estudiosos vão conseguir explicar melhor doenças mentais, como a demência.

Medir as diferenças de inteligência entre os cães

Os investigadores construíram um local especial para esta experiência, realizada com 68 cães da raça border collie. Capacidade de orientação, velocidade e perícia foram medidas no estudo.

Um dos testes consistiu em ver como os cães chegavam até um prato de comida que conseguiam ver, mas que estava atrás de uma barreira, ou medir com que rapidez escolhiam o prato com mais comida, quando lhes eram oferecidos dois.

"Dentro de uma mesma raça há diferenças nos resultados. O cão mais rápido e exato numa tarefa tem a propensão para também ser assim noutra", afirmam os cientistas.

Rosalind Arden, da LSE, afirma que este estudo é "o primeiro passo no desenvolvimento de um teste de quociente intelectual (QI) para cães, rápido e fiável".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.