A equipa do Presidente-eleito dos Estados Unidos da América, Donald Trump, que prepara a transição com a administração de Barack Obama, vive momentos turbulentos. Esta terça-feira, 15 de novembro, o antigo congressista Mike Rogers, que tinha sido nomeado conselheiro para a segurança social, foi mais uma das baixas confirmadas.

Avança a cadeia de televisão NBC News que Rogers terá sido vítima de uma “purga estalinista” orquestrada pelo genro - e novo homem forte - de Trump, Jared Kushner, que segundo o canal de televisão está a aproveitar a sua influência dentro da equipa e o momento de convulsão para acertar velhos problemas de família com todos os que são próximos do antigo governador de Nova Jérsia, Chris Christie. O homem que em 2004 julgou e enviou para a prisão o pai de Kushner por evasão fiscal, entre outros crimes.

Christie foi o primeiro nome avançado para liderar a equipa de transição e, também, o primeiro a cair com o alegado "acerto de contas". A liderança da equipa acabou por passar para o vice-presidente eleito, Mike Pence.

Donald Trump utilizou a rede social Twitter para desmentir que se esteja a passar algo de errado com a constituição da equipa. Num tweet, o sucessor de Obama, escreve que o processo está a decorrer de “forma muito organizada”, acrescentando que ele mesmo é “o único que sabe quem são os finalistas”.

Para além de Mike Rodgers e Chris Christie, mais quatro elementos terão sido riscados da lista. De acordo com fontes ouvidas pelo Washington Post e o New York Times, Richard H. Bagger (diretor executivo da equipa de transição), William J. Palatucci (membro do conselho geral da equipa de transição), Kevin O’Connor (responsável pela transição no Departamento de Justiça) e Matthew Freedman (responsável pela transição no Conselho de Segurança Nacional) foram os nomes que caíram das escolhas de Trump.

As vozes da discórdia no Partido Republicano

No seio do Partido Republicano, as vozes da discórdia são muitas, e ganham eco maior na figura de John McCain, senador pelo estado do Arizona que em 2008 foi adversário de Barack Obama na corrida à Casa Branca. O republicano veio a público criticar a proximidade de Trump com Vladimir Putin, o Presidente da Rússia, apelidando-a de “cumplicidade com a carnificina contra o povo sírio”.

Ser Presidente e homem de negócios

Têm surgido rumores que apontam para que os três filhos do recém Presidente-eleito, que o substituirão na liderança do império Trump, estarão a tirar proveito do novo estatuto do pai para fins comerciais. A esses ‘burburinhos’, o antigo assessor de imprensa da Casa Branca, Ari Fleischer, reagiu através do Twitter: “Um conselho de graça: parem. Não façam isso. A presidência é maior do que o negócio da família. Acabem com isso.”

O processo de formação da equipa de transição, que esteve temporariamente paralisado, parece ter ganho agora um novo fulgor com Mike Pence a assinar todos os documentos necessários para que lidere a equipa de transição.

Entretanto, são vários os nomes que têm vindo a público como possíveis integrantes da futura administração encabeçada por Trump. A Reuters aponta alguns dos candidatos prováveis:

Secretário de Estado

  • Bob Corker, senador do Tennessee e presidente do comité de relações exteriores do Senado
  • John Bolton, antigo embaixador dos EUA nas Nações Unidas
  • Newt Gingrich, antigo presidente da Câmara dos Representantes
  • Zalmay Khalilzad, antigo embaixador dos EUA no Iraque
  • Rudy Giuliani, antigo mayor de Nova Iorque e amigo de longa data de Trump

Secretário do Tesouro

  • Steven Mnuchin, antigo executivo do Goldman Sachs e diretor financeiro da campanha de Trump
  • Jeb Hensarling, congressista do Texas, presidente do comité financeiro da Câmara dos Representantes
  • Jamie Dimon, executivo da companhia da JPMorgan Chase & Co
  • Tom Barrack, fundador e presidente da companhia of Colony Capital Inc

Secretário da Defesa

  • Michael Flynn, antigo diretor da Defense Intelligence Agency
  • Stephen Hadley, antigo conselheiro de segurança nacional do Presidente George W. Bush
  • Jon Kyl, antigo senador do Arizona
  • Jeff Sessions, senador do Alabama, membro do comité das Forças Armadas do Senado.

Secretário dos Assuntos Internos

  • Sarah Palin, antiga governadora do Alaska que concorreu à vice-presidência dos EUA em 2008 e um dos rostos do movimento Tea Party
  • Jan Brewer, antigo governador do Arizona
  • Forrest Lucas, fundador da companhia petrolífera Lucas Oil

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.