Os terroristas "geralmente são homens de confissão muçulmana", disse o presidente da Ryanair, Michael O'Leary, numa entrevista publicada este sábado pelo The Times.

Referindo-se à segurança aeroportuária, o empresário de 58 anos disse ao jornal britânico que o controlo deve ser menos rigoroso para as famílias, porque "quase" não há hipótese de haver terroristas entre elas. Ao inverso, sugeriu que os processos de controlo deveriam concentrar-se nos homens muçulmanos.

"Quem são os terroristas? São homens solteiros a viajar sozinhos", disse.

"Você não pode dizer algumas coisas, porque é racismo, mas geralmente são homens de confissão muçulmana", declarou, para acrescentar em seguida que,  "se a ameaça vem daí, devemos combatê-la."

Em resposta às declarações, um porta-voz do Conselho de Muçulmanos do Reino Unido acusou o empresário de "islamofobia".

O deputado trabalhista Khalid Mahmood considerou que O'Leary "promove o racismo".

"Na Alemanha, nesta semana, um homem branco matou oito pessoas. Devemos estabelecer um perfil de brancos para ver se são fascistas?", acrescentou o político, referindo-se ao ataque racista em Hanau.

Michael O'Leary é conhecido pelos seus comentários controversos. Já sugeriu que os passageiros viajassem de pé nos aviões, que se cobrasse pelo uso da casa de banho ou que as pessoas obesas pagassem mais pelo lugar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.