“Ao contrário do que muitos diziam, as eleições internas não enfraqueceram nem debilitaram o PSD. As eleições internas reforçaram, credibilizaram e legitimaram o PSD e a sua liderança como a única e verdadeira alternativa ao PS e ao seu Governo de estagnação e impasse”, disse Paulo Rangel na sua intervenção no 39.º Congresso Nacional do PSD.

Aceitando “os resultados renhidos, mas claros” que ditaram a sua derrota, o eurodeputado do PSD assumiu um compromisso: “sem abdicar das minhas convicções, disponível para servir Portugal, os portugueses e o PSD, no presente e no futuro como sempre estive no passado, dou e darei todo o meu apoio ao partido e ao presidente nesta pré-campanha e em toda a campanha eleitoral”.

“O projeto do PS e do seu líder exauriu-se, esgotou-se, apagou-se”, defendeu, considerando que está na hora de dizer “basta de PS” e de “gerar uma alternativa forte, galvanizadora, capaz de devolver esperança aos portugueses”.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.