1. Ondas de calor em ambos os polos da Terra deixam cientistas climáticos alarmados

As temperaturas na Antártida atingiram níveis recorde no fim de semana: uns surpreendentes 40°C acima do normal. Ao mesmo tempo, o pólo norte também mostrou sinais de degelo, com algumas zonas com temperaturas 30°C acima do esperado, atingindo níveis normalmente alcançados muito mais tarde no ano.

Nesta altura do calendário, a Antártida deveria estar esfriar cada vez mais depressa e o Ártico a emergir lentamente do inverno, à medida que os dias se prolongam. Ambos os polos terem registado este aquecimento abrupto, ao mesmo tempo, é algo sem precedentes.

Na prática, o que é que isto significa? De forma simples: temos de estar em alerta. Estas ondas de calor podem desencadear um efeito dominó de reações que acelerarão o colapso climático: elevando o nível do mar e aquecendo ainda mais o planeta.

Para ler na íntegra em The Guardian.

2. Microplásticos detetados pela primeira vez no sangue humano

Há enormes quantidades de resíduos plásticos a serem despejadas no ambiente e os microplásticos contaminam todo o planeta, mesmo os oceanos mais profundos. Apesar de já ser sabido que as pessoas consumiam estas pequenas partículas através da comida e da água - para das vias respiratórias - e de terem sido encontradas nas fezes de bebés e adultos, esta foi a primeira vez que estes microplásticos foram detetados no sangue humano — em quase 80% das pessoas testadas.

A descoberta, segundo o Guardian, mostra que as partículas podem viajar pelo corpo e alojar-se em órgãos, sendo que o seu impacto na saúde é ainda desconhecido. No entanto, os investigadores mostram-se preocupados uma vez que os microplásticos provocam danos às células humanas em laboratório.

Para ler na íntegra em SAPO24.

3. Nova Delhi é a capital mais poluída do mundo

A Índia tem o maior número de cidades mais poluídas do mundo e Nova Delhi é a capital mais poluída do mundo, de acordo com o Relatório Mundial de Qualidade do Ar de 2021.

"Das 15 cidades mais poluídas da Ásia Central e do Sul em 2021, 12 eram na Índia. As médias anuais de PM2.5 [partículas finas de poluição] na Índia voltaram às concentrações pré-quarentena", afirmou a análise, acrescentando que nenhuma cidade cumpre os padrões aconselhados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Para ler na íntegra em Times of India.

4. Não, não é demasiado tarde para impedirmos um colapso climático

Mais e mais jovens preocupam-se com o clima e as alterações climáticas são um tema central e do interesse comum. Mas, o foco em más notícias pode semear medo e provocar um sentimento de paralisia e incapacidade de fazer alguma coisa para mudar a situação atual.

Por isso, estes jovens preferem focar-se em soluções climáticas. “É tarde demais significa que eu não tenho que fazer nada, e a responsabilidade não me cabe a mim”, refere uma das jovens.

Para ler na íntegra em New York Times.

Por cá: Portugal em 26.º entre 66 países avaliados sobre "tecnologia azul" para preservar oceanos

Portugal está em 26.º lugar entre 66 países no que toca à maneira como protege o seu mar e a sustentabilidade dos oceanos, segundo um "barómetro de tecnologia azul" elaborado pela universidade americana MIT.

O grupo em que Portugal se inclui, com uma pontuação de 4,94, é composto por 20 países que apresentam “pontuações medianas” e se distinguem por um “progresso global em direção à sustentabilidade oceânica” mas com “grandes divergências” entre pontuações de cada pilar, que têm ponderações diferentes na nota global.

Na avaliação do MIT, Portugal tem a pontuação mais elevada em atividade marinha (40) e a mais baixa em políticas regulatórias (17). Em inovação tecnológica, o pilar que vale metade da nota final, Portugal tem uma pontuação de 25 e em ambiente oceânico atinge 30.

Para ler na íntegra em SAPO24.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.