“Devido ao extraordinário perigo do momento atual, a Comissão de Ciência e Segurança [do Boletim de Cientistas Atómicos (BAS, na sigla em inglês)] adianta o relógio 30 segundos para mais próximo da catástrofe. Faltam agora dois minutos para a meia-noite – o mais próximo que o relógio alguma vez esteve do 'Dia do Juízo Final', e tão próximo quanto esteve em 1953, no pico da Guerra Fria”, justificaram os cientistas na sua declaração.

No seu texto, salientam que “o aviso que agora é enviado é claro: o perigo é óbvio e iminente”.

Na apresentação do relatório, a presidente do BAS, Rachel Bronson, salientou que “apesar de o BAS se focar no risco nuclear, nas alterações climáticas e nas tecnologias emergentes, o panorama nuclear ocupou o centro da cena na declaração deste ano”.

Isto porque, justificou, “os principais atores no nuclear estão à beira de uma nova corrida às armas, uma que vai ser muito dispendiosa e aumentar a possibilidade de acidentes e erros de perceção”.

Do documento, salientou-se ainda que “o mundo tem visto a ameaça colocada pelo mau uso das tecnologias de informação e testemunhou a vulnerabilidade das democracias à desinformação.

Em 2017, a chegada de Donald Trump à Presidência dos EUA foi o bastante para o BAS adiantar o relógio para dois minutos e meio antes da meia-noite.

Aquela foi a primeira vez que a comissão de Ciência e Segurança do BAS divulgou uma variação temporal inferior a um minuto, apenas porque Trump só era Presidente há alguns dias.

Fundado em 1945 pelos cientistas da Universidade de Chicago envolvidos no designado Projeto Manhattan, que resultou na primeira bomba atómica, o Boletim dos Cientistas Atómicos criou o Relógio do Dia do Juízo Final dois anos depois.

O objetivo é sinalizar o quão perto o planeta e a humanidade estão do desastre vital.

Para facilitar a passagem da mensagem, foi decidido o recurso à imagem do apocalipse (meia-noite) e ao idioma contemporâneo da explosão nuclear (contagem decrescente para zero).

A declaração do ‘Doomsday Clock’ relativa a 2018 está disponível em aqui.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.