“O Governo e o PS acreditam que, aliviando as medidas [covid-19] quase na totalidade, ainda que não entrem já em vigor, isso lhes traz vantagem. Não me parece bem usar medidas do Governo para beneficiar o PS em sede eleitoral. Mas cada um joga com as armas que tem em função dos seus parâmetros éticos”, disse Rui Rio, referindo-se às deliberações do Conselho de Ministros relativamente ao alívio das medidas de contenção da covid-19 face à evolução da situação pandémica.

Rio começou hoje uma visita de dois dias à ilha de São Miguel, nos Açores, no concelho do Nordeste, onde, nas eleições autárquicas de 2017, a Câmara passou das mãos do PS para as do PSD, elevando para cinco as autarquias açorianas lideradas pelos social-democratas, que agora presidem também ao Governo Regional.

O primeiro-ministro anunciou hoje que a evolução positiva do país no controlo da covid-19 vai permitir que passe do atual estado de contingência para a situação de alerta a partir de 01 de outubro.

Rio diz que nenhuma das medidas anunciadas surpreendeu, mas, tendo em conta a entrada em vigor das medidas em outubro, alertou para a proposta do PSD, recusada pelo Governo, de adiar as eleições autárquicas em pelo menos um mês.

"Numa campanha [eleitoral] autárquica, é importante estar junto com as pessoas. Faz muita diferença estar ou não estar de máscara, teríamos feito uma campanha muito melhor [se o Governo tivesse concordado em adiar as eleições marcadas para domingo]", disse.

O líder do PSD falava depois de uma ação de campanha no centro do Nordeste, na companhia do presidente do Governo Regional dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), José Manuel Bolieiro, e do presidente da autarquia e recandidato a um segundo mandato.

Na iniciativa, Rio distribuiu panfletos enquanto a comitiva entregava flores cor-de-laranja e canetas, dirigindo-se pelo nome (que perguntava ao presidente de Câmara, do PSD) a vários munícipes.

Rio justificou a visita ao Nordeste por ter sido a surpresa positiva para o PSP há quatro anos - nas autárquicas de 2017, o PSD conquistou aquela Câmara ao PS.

Questionado sobre quantas Câmaras o PSD pretendia ganhar nas autárquicas de domingo, o líder do PSD apontou a possibilidade de chegar às quatro.

"Querer era todas, mas é absolutamente impossível. Apontam-me a possibilidade de poder ter mais duas, três, quatro. Conto aqui, como em todo o país, subir. Faço aqui um cumprimento especial porque nas últimas eleições regionais o PSD venceu, por isso quisemos encerrar nos Açores a campanha nacional do partido", vincou.

Rui Rio critica secretário de Estado por declarações ridículas sobre covid-19

O líder do PSD considerou hoje que “tocaram o ridículo” as declarações do secretário de Estado da Internacionalização sobre a pandemia de covid-19 e criticou o PS por “roçar o absurdo” em fim de campanha para as eleições autárquicas.

“Ouvi o secretário de Estado Eurico Brilhante Dias, em dia que me parece não brilhante para ele, dizer que pandemia [de covid-19] até acabou por ser boa para a marca Portugal. Isto até toca o ridículo”, observou Rui Rio no concelho do Nordeste, ilha de São Miguel, Açores, região escolhida para o encerramento da campanha nacional do partido devido à conquista social-democrata sobre o PS nas eleições regionais de 2019.

Para Rio, “à medida que a campanha avança e chega ao fim”, os socialistas começam a não ter “muito para dizer e “a inventar”, pelo que “já começa a reinar o absurdo”.

“Acho que, à medida que a campanha avança e chega ao fim, começa a não haver muito para dizer e começam a inventar, mas chegar ao ponto de apresentar António Costa [primeiro-ministro e secretário-geral do PS] como o homem que nos salvou da pandemia e um secretário de Estado dizer que pandemia nem é má, já começa a reinar o absurdo”, afirmou o presidente do PSD.

Rio falava aos jornalistas a propósito das medidas de alívio na contenção da pandemia de covid-19, hoje decididas em Conselho de Ministros.

O líder do PSD falava depois de uma ação de campanha no centro do Nordeste, na companhia do presidente do Governo Regional dos Açores (PSD/CDS-PP/PPM), José Manuel Bolieiro, e do presidente da autarquia e recandidato a um segundo mandato.

Ironizando, Rui Rio afirmou que Brilhante Dias “até podia dizer que é uma pena a pandemia acabar ou estar sem grande força, porque estava a ser ótimo para a marca Portugal”.

O secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante, disse hoje, durante o salão de vestuário e têxtil Première Visio, em Paris, que o interesse por Portugal nos mercados internacionais continuou em tempos de covid-19 e a forma como país lidou com a pandemia favoreceu a imagem do país.

Questionado pelos jornalistas sobre o desempenho da marca 'Made in Portugal', o governante afirmou: “Vou dizer uma coisa que talvez não seja politicamente correta. Nós ganhámos com a covid-19. E ganhámos porquê? Porque Portugal foi um país que, tendo as suas dificuldades, enfrentou a covid-19 com bastante êxito. Faleceram pessoas e muitas pessoas passaram muito mal, mas Portugal mostrou-se um país muito organizado que enfrentou uma realidade muito disruptiva com sucesso”.

O PSD lidera em cinco das 19 Câmaras Municipais dos Açores, tendo conquistado a do Nordeste ao PS nas eleições autárquicas de 2017.

Além de Miguel Soares, pelo PSD, candidatam-se à Câmara do Nordeste Rafael Branco, pelo PS/Açores, Duarte Melo, pela CDU, e Miguel Arruda pelo Chega.

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD venceu naquele concelho com 59,58% dos votos, o PS obteve 37,31% e a CDU 1,25%.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.