“No Alentejo, particularmente hoje no distrito de Évora, o problema é transversal e, portanto, o país tem de olhar para estas terras” do interior “na lógica do apoio ao investimento, que é para a criação de emprego”, em particular para os jovens, afirmou Rui Rio.

Para o líder do PSD, que falava aos jornalistas em Évora, após um dia passado em mais dois concelhos do distrito, em ações com os respetivos candidatos autárquicos, o emprego “é a base de tudo”.

“Ou nós no interior criamos emprego e conseguimos que os jovens aqui fiquem, ou então isto é uma questão de tempo, não sei a que ritmo, mais rápido ou mais lento, mas vai desaparecer tudo”, alertou.

Rui Rio visitou hoje os concelhos de Mourão e Redondo e, ao final do dia, já em Évora, juntamente com o presidente do CDS-PP, inaugurou a sede de campanha da coligação autárquica em que participam os dois partidos.

Henrique Sim-Sim é o cabeça de lista à Câmara de Évora da coligação PSD/CDS-PP/PPM/MPT, tendo Rui Rio considerado hoje que este candidato “marca a diferença” perante uma gestão do município, de maioria CDU, que “está um pouco cansada, um pouco gasta”.

Nas autárquicas marcadas para 26 de setembro, “pode sempre haver uma grande fidelidade ao partido” e a CDU ganhar a câmara, mas “é evidente” que “há uma diferença abismal e um confronto brutal de ideias entre aquilo que é a gestão autárquica em Évora” e o que a coligação de direita oferece, com uma “equipa muito mais jovem, muito mais dinâmica”, afiançou o presidente do PSD.

O líder social-democrata argumentou também que existem “boas perspetivas” em relação ao resultado eleitoral que espera obter em Évora, mas traçou as diferenças entre uma candidatura do PSD a um município no Alentejo e a uma autarquia no norte.

“Temos noção das coisas. Uma coisa é nós nos candidatarmos a uma câmara do norte, onde o PSD já foi poder e entretanto o perdeu”, o que faz com que o partido tenha “facilidade em ganhar essa câmara”, mas “é muito diferente ganhar uma câmara no distrito de Évora ou no distrito de Setúbal ou no distrito de Beja”.

O que o PSD tem é “um candidato que marca a diferença” e, por isso, a 26 de setembro, espera “uma subida substancial” da votação nesta capital de distrito alentejana.

O executivo municipal de Évora é formado por quatro eleitos da CDU, dois do PS e um do PSD.

Além de Henrique Sim-Sim, a corrida eleitoral a este município é disputada pelo atual autarca Carlos Pinto de Sá (CDU), José Calixto (PS), Raul Rasga (BE), Carlos Magno Magalhães (Chega) e Florbela Fernandes (Nós, Cidadãos!/RIR).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.