“Em 05 de maio, Moscovo vai receber outra ronda de consultas sobre a implementação do memorando da delegação interministerial russa com representantes da ONU e a secretária-geral da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Rebeca Grynspan”, declarou a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova.

Anteriormente, a deslocação de Grynspan à capital russa tinha sido anunciada por um porta-voz das Nações Unidas.

Segundo a ONU, o objetivo da visita é discutir a necessidade de prolongar o acordo para a exportação de cereais da Ucrânia, assim como a exportação de alimentos e fertilizantes da Rússia.

O acordo para a exportação de cereais pelo Mar Negro foi firmado no verão passado pela Ucrânia e pela Rússia, sob a mediação da ONU e da Turquia, e visa o escoamento de cereais e de produtos alimentares bloqueados nos portos ucranianos desde a invasão russa, em fevereiro de 2022.

Em paralelo, foi igualmente firmado um memorando para facilitar as exportações russas de alimentos e fertilizantes, compromisso que Moscovo diz não estar a ser cumprido.

O acordo foi assinado por um período de 120 dias e depois foi renovado por um segundo período similar até 18 de março. Nessa altura, a Rússia decidiu impor um novo período de renovação, de apenas 60 dias, período que expira a 18 de maio.

O Kremlin (Presidência russa) avisou na terça-feira que as conversações para prolongar o acordo que permite a exportação de cereais ucranianos pelo Mar Negro estão em risco.

“A posição da Rússia é bem conhecida. O acordo já foi prorrogado por mais dois meses, mas a janela está a fechar-se. Os termos do acordo não foram totalmente cumpridos nas questões que dizem respeito ao setor agrícola russo, mas o diálogo vai continuar”, afirmou, na terça-feira, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Peskov voltou hoje a abordar o tema, dizendo que “há poucos motivos para otimismo” sobre a possibilidade de prorrogação do acordo.

No entanto, garantiu que “os contactos continuam” e que a Rússia está “interessada em cumprir as condições do acordo”.

Ao mesmo tempo, Peskov sublinhou que “a Rússia não fará nada que seja contrário aos seus interesses”.

Segundo avançaram as autoridades turcas, a renovação do acordo sobre os cereais será negociada pelos vice-ministros da Defesa da Rússia, Ucrânia e da Turquia numa reunião em Istambul na próxima sexta-feira.

A porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, afirmou hoje que ainda não há datas concretas para este encontro.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de fevereiro do ano passado, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.