Em declarações aos jornalistas, José Manuel Rodrigues mostrou-se satisfeito pelo facto de, segundo as projeções, e "o cds manter a sua represnetação parlamentar" e pode "ser decisivo na formação do futuro governo da Madeira".

"O CDS disse desde o início que admitia fazer coligações com o partido que ganhasse as eleições", afirmou o líder centrista. Sobre que tipo de acordo, José Manuel Rodrigues sublinhou apenas que terá de ser uma solução "sem extremismos, sem partidos comunistas, sem geringonças" de forma a "encontrar uma solução estável para a Madeira".

O responsável do CDS acrescentou ainda que, a título pessoal, não é favorável a "acordos de incidência parlamentar". "Acho preferível uma coligação entre os partidos que vierem a suportar o futuro governo da Madeira".

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.