Scott Pruitt, proposto pelo Presidente Donald Trump, tem gerado controvérsia, pelas suas públicas declarações, em que se afirma cético das mudanças climáticas.

O novo responsável da EPA venceu a votação do senado com 52 votos a favor e 46 contra, tendo beneficiado ainda do voto dos senadores democratas Joe Manchin, de West Virginia, e Heidi Heitkamp, do Dakota do Norte, e conta com o voto contra da republicana, Susan Collins, do Maine.

Tanto West Virginia como o Dakota do Norte são dois Estados com uma forte dependência de mineração e do petróleo, refere a agência noticiosa Efe.

Com a ratificação de Pruitt, o procurador-geral de Oklahoma, os Estados Unidos preparam-se para reverter as políticas agressivas de defesa do meio ambiente e contra as mudanças climáticas, conduzidas pelo Presidente antecessor, Barack Obama.

Os democratas tentaram no último momento atrasar a votação dez dias, até à divulgação do correio eletrónico entre Pruitt e grupos que representam a indústria de petróleo e mineração, mas não alcançaram os votos suficientes.

Por ordem de um juiz as mensagens eletrónicas serão divulgadas na terça-feira.

Pruitt, de 48 anos, tem sido criticado pelos democratas pelas suas ligações à indústria do petróleo e sobre as suas dúvidas sobre os efeitos das mudanças climáticas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.