Obama criticou ainda a proposta de Donald Trump de impedir a entrada de muçulmanos nos Estados Unidos e declarou que os seus adversários também estão a fazer declarações "perturbadoras".

No entanto, o presidente dos Estados Unidos reservou os comentários mais duros ao multi-milionário. "Eu continuo a acreditar que o senhor Trump não será presidente e a razão é que tenho muita fé no povo americano. Eu acredito que vão reconhecer que ser presidente é um trabalho sério", acrescentou. "Não é como apresentar um programa de entrevistas, ou um reality show. Não é uma promoção, não é marketing. É difícil", explicou.

Obama insistiu que "às vezes (ser presidente) exige tomar decisões difíceis, apesar de serem impopulares. Isso implica ser capaz de trabalhar com dirigentes do mundo inteiro".

O presidente americano salientou que vários dos oponentes republicanos de Trump adotaram posições similares às do magnata, mesmo que tenham manifestado a sua opinião de maneira menos provocadora, algo que é motivo de preocupação.

"Acho que alguns observadores estrangeiros estão preocupados com a retórica destas primárias republicanas e com os debates republicanos. E isso não se aplica apenas ao senhor Trump", completou Obama.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.