Em publicação no Facebook, assinada por Teresa Paixão, diretora da RTP2, é referido que a série Destemidas "não foi suspensa" nem da RTP2, nem da RTP Play. É ainda referido que será transmitido, às 11h30, "o episódio dedicado a Hedy Lamarr".

Contudo, após queixas e por recomendação do provedor da estação, a RTP tirou do ar episódio da série infanto-juvenil "Destemidas" dedicado à vida da feminista Thérèse Clerc que fez parte de movimentos a favor do aborto e pela defesa dos direitos das mulheres.

A decisão terá sido motivada por várias queixas que foram endereçadas à RTP e também à Entidade Reguladora da Comunicação Social. Em causa estava para os queixosos o facto do episódio referente à vida de Thérèse Clerc abordar temas como a luta pela legalização do aborto e também a exposição da homossexualidade da protagonista retratada com um beijo entre duas mulheres.

Na publicação no Facebook explica-se a decisão da suspensão do episódio. "Foi temporariamente suspenso do espaço ZiG Zag porque reconhecemos que a linguagem utilizada no que diz respeito ao aborto não era a mais adequada para o público alvo (10-13 anos) e voltará assim que estiver refeita a dobragem", pode ler-se.

É ainda informado que "os 30 episódios que compõem a série podem ser vistos integralmente, com a tradução aproximada ao texto original na RTP Play, incluindo o episódio que deu lugar a esta questão no espaço das séries da RTP2".

A crítica ao episódio

O provedor do Telespectador da RTP, Jorge Wemans, endereçou à direção de programas uma carta em que recomenda que o episódio fosse retirado da RTP Play e que futuras exibições da série escolhessem um horário mais adequado ao público infanto juvenil. Na carta a que o SAPO24 teve acesso pode ler-se: "Recomendei às responsáveis pela programação infanto-juvenil da RTP2 que a) retirassem da RTP Play o referido episódio, b) em futura repetição da série escolhessem outro horário mais apropriado para adolescentes e não incluíssem o referido episódio. Elaborei esta recomendação porque a linguagem e a narrativa não são adequadas à comunicação para um público adolescente dos temas a que Thérèse Clerc dedicou a sua vida".

Na mesma missiva, Jorge Wemans demarca-se, no entanto, das críticas ao episódio. "Não acompanho, no entanto, a maior parte das críticas feitas à RTP2. Difundir a história de uma mulher que alterou radicalmente a sua vida por ter tido contacto com os escritos de Karl Marx não torna um canal marxista. Nem em abortista por divulgar a história de quem lutou pela legalização do aborto. Muito menos pode o canal ser classificado de anticatólico por ter contado a história de uma mulher que sempre referiu o ambiente vivido na sua família católica como opressivo".

Nas considerações elaboradas, Jorge Wemans defende que "a RTP não pode, nem deve esconder ao seu público adolescente" as realidades que são abordadas no episódio, mas que "não pode, nem deve, no entanto, fazê-lo como surgem tratadas no referido episódio".

As recomendações do Provedor não são vinculativas, mas é prática que as direções as considerem levem em linha de conta para a tomada de decisão.

Em declarações ao Observador publicadas esta tarde, quando ainda não tinha sido retirado o episódio em causa, a diretora de programas da RTP2, Teresa Paixão assumiu a "delicadeza do tema” e que poderiam ter “suavizado e enquadrado melhor estes direitos, que são mais complexos”, mas sublinhou que não houve da parte da estação “fazer apologia a nada, tanto ao catolicismo como a qualquer outra religião”. “Compete sim à televisão pública falar de todos os assuntos e de todas as formas de vida”, afirmou.

Uma das queixas partiu do Partido Nacional Renovador que anunciou ir apresentar esta sexta-feira uma queixa-crime contra a RTP na Procuradoria-Geral da República.

A série "Destemidas" é uma produção francesa a cargo da France Télévision e apoiada pelo Programa de Media da União Europeia que resulta da adaptação para televisão do livro ‘Culottées’ (‘Atrevidas’) da autoria de Pénélope Bagieu.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.