Segundo informação disponibilizada no site do Centro Sismológico Euro-Mediterrânico, o sismo registou-se às 14h13 locais (12h13, em Lisboa) com uma magnitude de 5,3 — a agência tinha começado por reportar uma magnitude de 5 no seu site.

O tremor de terra teve epicentro a cerca de 23 quilómetros de Atenas e a uma profundidade de 12 quilómetros.

Já foram sentidas várias réplicas, uma delas com magnitude 3,2, informa a mesma fonte.

"No momento, não podemos ter certeza de que este é o principal tremor", disse Gerasimos Papadopoulos, um sismólogo, à TV pública ERT.

"Três tremores de menor intensidade foram seguidos mais tarde, o que é um bom sinal", acrescentou o sismólogo, convidando a população a "permanecer em calma".

Muitos edifícios foram evacuados e os habitantes e turistas juntaram-se nas ruas da capital grega.

A Autoridade Nacional da Proteção Civil grega disse, segundo a agência noticiosa Associated Press (AP), que não houve relatos imediatos de vítimas ou danos materiais, no entanto a polícia e voluntários estão no terreno para averiguar eventuais situações de socorro.

Na sequência do sismo foram registados alguns cortes de eletricidade e falhas nas telecomunicações. Os bombeiros dizem ter recebido chamadas de pessoas presas em elevadores, avança a AP.

Um repórter da AP relata que o abalo foi forte e que as pessoas correram para a rua na capital.

Segundo os media locais, o tremor de terra foi sentido em toda a região da Ática, que engloba a cidade de Atenas e onde vive quase metade da população do país.

O sismo mais forte a atingir Atenas nos últimos 20 anos ocorreu em 1999, com um tremor de magnitude 6, em que morreram 140 pessoas e foram registados vários danos materiais, lembra a AP.

A Grécia está localizada em importantes falhas geológicas e terremotos são frequentes. Na maioria das vezes, não há vítimas.

*Com agências 

(Última atualização às 14h34)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.