Atualmente, segundo constatou a Lusa, não é possível aos utentes dos transportes públicos da AMP visualizar um mapa integrado, com representação gráfica das zonas do bilhete Andante, com todas as linhas de operadores públicos e privados que utilizam o sistema.

Em causa estão os 'sites' quer do bilhete intermodal Andante quer os da Autoridade de Transportes da AMP (autoridade.amp.pt, tarifario.amp.pt, entre outros).

Quanto ao Andante, o seu ‘site’ na internet (linhandante.com) apresenta mesma configuração gráfica desde pelo menos 2006, de acordo com o portal de arquivo da Internet Wayback Machine, que permite consultar ‘sites’ na forma como se apresentavam há vários anos.

No fundo do 'site', é possível ler que o registo da Transportes Intermodais do Porto (TIP), que gere o espaço, remete para 2005 (“©2005 Transportes Intermodais do Porto. Todos os direitos reservados”), e que as páginas estão “otimizadas para Internet Explorer 5.5+”, uma versão do ‘browser’ (entretanto extinto) lançada em 2000 e descontinuada precisamente em 2005.

Em resposta enviada à agência Lusa, a TIP refere que "o novo site Andante será lançado até ao final do mês" e está também "em fase de conclusão, embora a sua disponibilização ocorra mais tarde, um portal que permitirá aos clientes aceder a informação própria relativa às suas deslocações".

Hoje, no linhandante.com já não é possível consultar os operadores, públicos e privados, que compõem a rede intermodal de transportes da AMP, ao contrário do que acontecia até, pelo menos, junho de 2019 (pouco depois de entrarem em vigor as reduções nos preços dos passes), de acordo com o Wayback Machine. Essa informação está agora disponivel no portal da AMP.

Pese embora já não conter informação sobre os operadores, continuam a ser atualizadas informações relevantes para os utentes, como por exemplo sucedeu com a atualização dos preços dos bilhetes para 2022.

Também não existe qualquer ligação entre o ‘site’ do Andante e o site da Autoridade de Transportes da AMP, que tutela a TIP e apresenta informação anteriormente presente no linhandante.com, inclusive na secção "'links' relacionados".

O ‘site’ do Andante dispõe, no entanto, de um mapa onde é possível calcular o preço de uma viagem a partir de determinada zona, mas não é visualizável que operadores fazem serviço nelas.

Já relativamente aos sites de transportes da AMP, quando se clica na opção de visualizar o zonamento Andante, na página é apenas carregado o mapa da região no Google Maps, não sendo visíveis as diferentes zonas ou as linhas de transportes que as servem.

No mesmo sítio da Autoridade de Transportes, quando se pretende calcular os tarifários Andante, a ligação também está em baixo, sendo descrito, em inglês, que o serviço está “temporariamente indisponível”.

Apesar de se poder consultar informação por concelho e por operador, incluindo horários (cuja eventual desatualização é remetida para os operadores de transportes) e zonas, também o ‘site’ de planeamento de rotas, mobilidade.amp.pt, tem apresentado alguns problemas, constatou a agência Lusa ao longo dos últimos dias.

A Lusa questionou a AMP acerca do funcionamento dos seus ‘sites’ e aguarda resposta.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.