Segundo noticia o jornal Público esta segunda-feira, reportando os dados do Portal do Serviço Nacional de Saúde, no mês de julho de 2021, a linha SNS24 teve uma taxa de atendimento de 80,95%, ou seja, quase um quinto das chamadas ficaram por atender.

O SNS apenas apresentou piores resultados em janeiro, durante o pico da pandemia, altura em que foram atendidas 76,4% das chamadas efetuadas para a linha. Contudo, analisando o número absoluto de chamadas, em janeiro foram atendidas mais de um milhão, enquanto em julho foram atendidas 736 mil chamadas.

O tempo médio de espera de atendimento também aumentou, sendo cerca de cinco minutos (322 segundos) em julho. Em janeiro a média de espera foi de oito minutos e em novembro do ano passado de seis, o que coloca o tempo de julho como o terceiro valor médio de espera mais alto.

"Face ao investimento, desenvolvimento e capacitação que tem vindo a adquirir desde o início da pandemia, a linha SNS 24 ganhou uma maior flexibilidade, sendo hoje possível gerir de forma mais eficiente o número de recursos necessários para assegurar a procura dos vários serviços", referem os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), a entidade gestora da linha, à publicação.

A entidade relembra ainda que presta vários serviços, desde a emissão de declarações provisórias de isolamento, emissão de requisições de testes à covid ou de rastreio de contactos, ao  esclarecimento de dúvidas relacionados com o processo de vacinação contra a covid-19 ou certificados digitais.

Os dados do Portal do SNS só apresentam dados até julho deste ano, mas a SPMS indica que, entre janeiro e o início deste mês, a linha já atendeu mais de 4,04 milhões de chamadas telefónicas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.