Como medidas de coação determinadas pelo juiz de instrução, os arguidos ficaram proibidos de contactar entre si e de frequentar estabelecimentos noturnos.

Os cinco homens, residentes no Vale do Sousa e no Grande Porto, estão indiciados pelos crimes de segurança ilegal, associação criminosa e ofensa à integridade física. Um dos arguidos, segundo a polícia, já cumpriu pena por ilícitos da mesma natureza.

Os arguidos estiveram hoje várias horas a ser ouvidos, depois de terem chegado ao tribunal sob grande aparato policial.

À porta do edifício estiveram vários familiares dos suspeitos.

Outros cinco arguidos que tinham sido identificados pela PJ na mesma operação policial, que são proprietários dos bares localizados no centro de Marco de Canaveses, foram hoje ouvidos no tribunal de Penafiel, pelo Ministério Público, e vão aguardar o desenrolar do processo em liberdade.

Na operação policial, realizada na madrugada de domingo, que contou com o apoio de militares da GNR, foi apreendido material ilícito que estava na posse dos detidos, nomeadamente armas, munições e cerca de dois mil euros em numerário.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.