Numa edição especial do Diário Oficial da União, o chefe de Estado justificou a revogação da ordem afirmando que considerou "a cessação dos atos de depredação e violência e o consequente restabelecimento da Lei e da Ordem no Distrito Federal, em especial na Esplanada dos Ministérios [onde ficam os edifícios governamentais]".

A decisão aconteceu menos de 24 horas após a assinatura do decreto, que determinou o envio de tropas de militares para proteger edifícios públicos que foram alvo de vandalismo numa manifestação contra o Governo brasileiro realizada na última quarta-feira.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.